quinta, 26 abril 2012 12:10

Secretário de Estado de Águas fala do desenvolvimento do sector em fórum nos Estados Unidos

Sea_Forum
O Secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, disse, em Washington, que o Executivo de Angola está empenhado na implementação do Programa Água para todos" que se destina a prover as capitais do pais de água potável.

O dignitário angolano falava na reunião de alto nível de 2012 sobre Saneamento e Água para todos nos países de África e Ásia, que se realizou de 19 a 20 de Abril, em Washington, D.C. sob a égide do Banco Mundial e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).
A titúlo de exemplo, Luís Filipe da Silva mencionou as províncias da Huíla, Huambo e Namibe onde já se aplicam estes projectos.

"O Executivo Angolano definiu um plano de acção, manutenção e sustentabilidade para o referido programa. Angola pensa ultrapassar a meta fixada pelos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio com uma cobertura de 60% neste ano de 2012", disse.

"Com a implementação da nossa política Nacional de Saneamento e o evoluir do Programa Saneamento Total, cujo objectivo é a melhoria das condições de saneamento nas zonas rurais, com ênfase para acções de mobilização social junto das comunidades para uma mudança de comportamentos, atitudes e práticas, podemos dizer, que antes de 2015, o nosso país preconiza atingir e ultrapassar as metas fixadas internacionalmente" - acrescentou.

Luís Filipe da Silva, que chefia a delegação angolana neste evento, manteve um encontro com o embaixador de Angola nos EUA, Alberto do Carmo Bento Ribeiro, durante o qual falou dos desenvolvimentos do sector no país.

No evento, realizado sob o tema "Ganhos Económicos do Saneamento e Água", que decorreu paralelamente às reuniões anuais de primavera do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI), participaram ministros das Finanças de países em desenvolvimento, ministros de Desenvolvimento e Cooperação de países doadores, altos representantes de Bancos de Desenvolvimento, assim como outras instituições de doadores, que endereçaram a falta de prioridade dada às questões de saneamento e água como uma intervenção de desenvolvimento, a deficiente ajuda ao sector e a necessidade de fortalecer a planificação e as instituições.

No certame, os participantes, elaboraram uma declaração conjunta que saúda o crescimento do Saneamento e Água para Todos em termos da parceria mundial, a nomeação de Jim Yong Kim, um campeão na saúde pública, como presidente do Banco Mundial e reconheceram que apesar de uma concretização geral agregada, da meta dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM) relativa à água, o progresso com vista ao saneamento, tem sido mais lento do que o previsto, o que pode levar muitos países a falhar no seu cumprimento.
Fontes:Centro de Docmentação e Informação - CDI - MINEA